Imprimir página

Enviar por e-mail

 

"PROVA DOS TRÊS TAMBORES"

 

ARTIGO 139 - RGCCQM / 1995 (102/103/104)

 

A- Esta prova terá as seguintes categorias de cavaleiros:

 

1- ABERTA      2- AMADOR     3- JOVEM

 

B- Cada cavaleiro poderá participar com até quatro animais, sendo um deles puro castrado.

 

C- Cada animal poderá participar até 3 vezes desde que em categorias diferentes.

 

D- A corrida dos três tambores é uma prova de precisão ao cronômetro, vale dizer, o vencedor será o que fizer o percurso em menor tempo.

 

E- Esta prova é considerada de cavalo de serviço", estando assim sujeita a todas as especificações das referidas provas quanto ao equipamento dos animais e traje dos cavaleiros. É contudo, permitido o uso do chicote ou pingalim, hackamore (mecânico ou não) e gamarra.

 

F- O percurso deve ser medido com exatidão. Se o espaço disponível for insuficiente para obediência à distância padrão, diminuí-las, então, de quatro metros e meio por vez até que o percurso caiba na pista. Do tambor número três até a linha de chegada não há necessidade de diminuir a distância; desde que  entre esta e a linha  da parada (cerca da pista), haja pelo menos vinte e cinco metros de distância. Deverá ser deixado espaço suficiente (mínimo quatro metros) entre os tambores e qualquer obstáculo existente na pista.

PARÁGRAFO ÚNICO - Seria recomendável para a realização desta prova uma pista nas medidas de 40 x 90 metros.

 

G- Uma linha de partida e de chegada deve estar visivelmente demarcada e nela será assinalado o ponto correspondente à metade da distância entre os tambores um e dois. As linhas demarcatórias das linhas de partida e chegada ficarão espaçadas à pelo menos cinco metros de cada lado, do ponto demarcatório.

 

H- Os tambores devem ser os usualmente utilizados para combustível, de 200 L de capacidade, devem estar absolutamente vazios , livres no solo, em pé, pintados com cores que o tornem perfeitamente visíveis. Os tambores poderão ter ser bordo superior encapados com pneu ou outra forma de proteção, a fim de evitar traumatismo nas pernas dos concorrentes.

 

I- Haverá um juiz principal, os auxiliares cronometristas e um auxiliar de partida e chegada.

 

J- É permitida a partida a todo galope. A contagem do tempo em que o focinho do cavalo cruzar alinha de partida e terminará quando o focinho do cavalo cruzar a linha de chegada. O cavaleiro deverá cruzar a linha de partida e chegada entre as balizas demarcatórias. Se o cavalo ultrapassar a linha de chegada com qualquer parte do corpo pelo lado de fora, será desclassificado.

 

K- Ao sinal do juiz, o cavalo correrá para o tambor 1, passando pela esquerda do mesmo, completará uma volta de aproximadamente 360 graus em torno; dirigir-se-á então para o tambor número 2, passando pela direita do mesmo, e completará uma volta de 360 graus, segue então para o tambor 3, passando pela direita do mesmo, e faz outra volta de mais ou menos 360 graus, dispara para linha de chegada.

 

L- O percurso poderá ser realizado em sentido inverso.
O cavaleiro poderá se dirigir ao tambor número 2, virando para a esquerda, seguir para o um virando para direita e por último para o três e também virará para a direita.

 

M- Erro de percurso e queda do cavaleiro, desclassificam o concorrente. Cada tambor derrubado pelo cavaleiro ou animal será penalizado em 5 segundos.

PARÁGRAFO ÚNICO- É permitido ao cavaleiro tocar com as mãos o tambor.

 

N- Após o início das provas, somente poderão adentrar a pista  os concorrente chamados. Os demais concorrentes deverão permanecer em silêncio, fora da pista, em local determinado pelo juiz da prova aguardando seu chamado.

 


  

Cavalo Completo
8/99